Skip to main content

Não deixei minha filha casar.

Não deixei minha filha casar!

Essa não é uma historia sobre mim, minha filha ou dos outros sofredores que escrevem por aqui. Essa eu ouvi na rua!

Neste último final de semana, fiz um trabalho no buffet infantil de meus amigos e estava no valet, manobrando os carros de uma das festas.

Tinha uma vaga bem em frente ao prédio ao lado e quem pegasse, estaria em um bom local, sem gastar nada. Logo parou um VW Gol “bolinha” com ao menos uns 15 anos de uso. Uma moça dirigia e junto alguns idosos. Mais precisamente 4, ou seja, carro lotado.

Na hora de sair, aquela zona…porta que emperra no chão, que encosta na arvore, presentes, e tudo isso de forma bem lenta. Eu só observava..

Um senhor saiu de cara emburrada e disse que não ia entrar na festa antes de fumar um cigarro. Chegou do meu lado, acendeu e começou a puxar papo.

Minha mulher e minha filha me tiram do serio, ele disse!

Por que? Perguntei!

Acordei cedo e fui ver um problema na bateria do carro. Troquei a bateria e vi também que o alternador estava com problema, mas só conseguiria trocar em outro dia. Então, para sair com o carro, precisava ser cauteloso para não descarregar a nova bateria, explicou ele.

Ele continuou: Meu filho, cheguei em casa e falei para elas do problema e começaram a reclamar do carro, que não iam na festa com ele, que iam pegar um taxi. Falei que se elas quisessem ir de taxi, que fossem, por que eu iria com o carro. Depois de mais bate boca, elas resolveram vir com o carro, ele terminou.

Silencio.

Entendi! Disse eu!

Ele continuou a reclamar e eu só ouvia, até que ele resolveu entrar. Fiquei rindo sozinho, pensando: Putz…só atraio louco!

Um hora depois ele volta e continua a falar..

Do nada, ele inseriu na conversa que a filha morava com ele ainda e que já passava dos 50 anos e nunca tinha se casado. E do jeito que falava, parecia se orgulhar disso. Achei esquisito, mas fiquei particularmente interessado e fui dando corda.

Disse que a filha só havia lhe apresentado 2 namorados em toda a vida, e que ele botou ambos para correr.

Um dia cheguei em casa, e estava lá o bonitão tomando minha cerveja, disse ele. Entrei em casa, tomei banho, sentei no sofá e pedi pra ficar com ele uns minutos a sós. Sem rodeios, perguntei ao rapaz qual eram os “interesses” dele com a minha filha. O rapaz me confirmou que eram os “melhores”. Então já que são os “melhores”, espero que ela nunca chegue em casa chorando por sua causa, por se isso acontecer, corre…mas corre pra longe e se enfia em um buraco bem fundo, porque se eu te achar, eu simplesmente te mato, ele finalizou.

O moço nunca mais apareceu! Ele reiterou!

Pelo que eu entendi, com o outro foi mais ou menos do mesmo jeito.

Ele comentou que a filha o culpa por nunca ter casado!

A história foi mais longa, com nuances machistas, preconceituosos, engraçados e de amor (ao jeito dele) pela filha.

Fiquei pensando sobre e percebi que essa preocupação do pai em não ver a filha “machucada” por algum marmanjo não é de hoje e certamente desperta alguns instintos não muito bons dentro de nós, pais sofredores. O que me pegou foi o fato disso parecer ter afetado as relações da moça e ter evitado que ela “sofra” o que a vida tem que lhe ensinar.

Nesse quesito, espero poder dar liberdade para a Cecília ser feliz, com as delícias e as dores que estão envolvidos em se viver a vida. Caindo ou levantando, chorando ou sorrindo, quero ser parceiro dela e que nós tenhamos  a certeza de estarmos juntos no crescimento dessa relação de pai e filha.

Para garantir, não acho que seja demais uns cursos de tiro e de arma branca, até por que, vagabundo é que nem mato, tem em todo lugar.

 

Comentários

comentário(s)

Well Bonfim

39 anos, empresário, santista de nascimento e roxo de coração e papai sofredor da Cecília

Um comentário em “Não deixei minha filha casar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.