Skip to main content

O baile da Manuela

Minha filha adora brincar de dança. Vez ou outra, ela pede a minha mão e da mãe  para cantar ‘roda, roda, roda, pé, pé’, com direito a se jogar no chão quando chega no trecho ‘caranguejo peixe é.’

Mas o baile do título é outro. E é bem desgastante para nós, os pais, e principalmente, para ela. É que, de vez em quando, ela não quer dormir. Muitas vezes, ela acorda de madrugada, umas duas da manhã, vai para o chão e quer brincar.  A gente pega ela no colo para tentar ninar. Mas, com os olhos cansados, ela chora, grita, esperneia até conseguir ir para o chão novamente para a  brincar.

E como brinca! Corre pra lá e pra cá, apavora o nosso cachorro o Pepe e nem esboça cansaço, apesar das olheiras. Ou seja, nesta história toda é duas e tanto da manhã e a gente está brincando com ela.

Se a gente tenta fazê-la dormir, um novo escândalo começa. Depois de apavorar por cerca de meia-hora, ele pede pra mãe dar de mamar. Aí, finalmente ela dorme. Dorme tão pesado que não acorda de jeito nenhum. Nem quando começa o barulho ensurdecedor às sete da manhã na construção bem do lado da janela dela. Se deixar dormir, ela vai até umas 10, 11 horas da manhã.

Na hora de acordá-la para escolinha, ela insiste em ficar deitada, com uma preguicinha que dá dó. Mas, por incrível que pareça, ela levanta disposta, falante e querendo brincar novamente.

Como disse o escritor Oscar Wilde, “A melhor maneira de ter bons filhos é fazê-los felizes”.

Seja feliz, Manuela!

Leandro Moretti Manço | Jornalista

o baile da manuela

Comentários

comentário(s)